Archive for abril, 2010

Acabamento Gráfico – Verniz e plastificação

 Vídeo rápido sobre a empresa Delta UV que faz acabamentos como envernização e plastificação

Eero Aarnio, o primeiro designer a utilizar o plástico nos produtos industriais

Eero Aarnio (helsinquia,1932), é um designer finlandês, pioneiro na utilização do plástico na indústria do desenho, marcou os anos 60 com o seu mobiliário vanguardista.
Em 1957, finalizou os seus estudos no Instituto de Artes Industriais de Helsínquia, e em 1962 abriu o seu gabinete de design industrial e de interiores. Trabalhou com materiais tradicionais e modernos, e foi também neste período que Aarnio começou a utilizar os plásticos, as cores vivas e as formas orgânicas, desafiando o design tradicional e convencional. Algumas das suas obras são hoje verdadeiros icones que perduram no tempo pela inovação e beleza.
As cadeiras Ball (1963), Pastil (1968) e Bubble (1968) representam a “pop culture” e o espirito do seu tempo.
A cadeira Bubble é uma esfera transparente com o assento no seu interior, desenhada para ser pendurada ao tecto. A cadeira Ball é uma esfera branca com interior em vermelho, apoiada no piso.


Em 1967 recebeu o American Industrial Design Award pelo design da cadeira Pastil, em fibra de vidro, que por flutuar, pode ser usada inclusive na água.
Grande parte dos seus trabalhos estão expostos nos museus de maior prestigio, incluindo o “Victoria and Albert Museum” de Londres, MoMa em Nova Iorque e o “Vitra Design Museum” em Weil am Rhein.

É notável como algumas das marcas do visual Pop vêm de um país escandinavo, em materiais tão distantes das tradições manuais que lá se praticavam. É notável como Eero Aarnio se destacou e tornou vedeta internacional do design durante as décadas de 60 e 70, ultrapassando muitas das figuras do ambiente italiano que então ditava as regras deste “mainstream”.

As criações em fibra de vidro, com códigos formais e cromáticos que se lhe colaram para a história, deram-lhe fama internacional, que permaneceu até estas criações serem moda. Cria pelo menos três ícones de uma era e, após esse reinado, dedica-se à criação em interiores e mobiliário para espaços de trabalho, com uma descrição seguramente diferente. O final do século fez reviver as criações de Aarnio, que vê as suas obras serem reeditadas por vários editores e novas solicitações para comissões que lhe prolongaram tardiamente o universo que havia criado. Aarnio tornou-se num exemplo eterno para a Escandinávia que ainda hoje figura em inúmeras situações por ser encarado como um marco intemporal , mesmo com as marcas óbvias de movimentos efémeros e tão ligado à moda.

Fonte http://www.sitarea.com

Corte de vários tipos de materiais

Corte em Maquina Router CNC

Corte em vinil

Vídeo sobre corte em vinil.

Laminadores a frio

Vídeo legal sobre laminadores a frio.

Artfix Print Solutions – Institucional

Esse vídeo mostra a impressão daqueles adesivos que se  coloca em carros para fazer propagandas. Muito legal.

Porque a indústria eletrônica adotou o plástico?

A inovação tecnológica é uma das principais características da Indústria Eletrônica. Quem diria: o plástico, matéria prima descoberta no final do século XIX, é hoje um componente presente na maioria dos produtos lançados no mercado pelo setor!

Em 1945, época em que o aço ainda era a matéria prima predominante em diversos setores da economia, a indústria conheceu um material de baixo custo de produção, peso reduzido e possibilidade de ser usado na confecção de produtos de diversos tamanhos, formas e cores. O plástico dava os primeiros sinais de que tomaria o lugar de materiais até então considerados insubstituíveis como metais, madeiras e vidros, etc.

A substituição progressiva dos materiais tradicionais pelo plástico revolucionou o conceito de design, ergonomia e utilidade dos objetos que faziam e fazem parte do dia a dia da sociedade.

A indústria eletrônica, que hoje representa um dos segmentos mais promissores da economia mundial é, seguramente, um dos setores que mais se aproveita dos atributos do plástico. Grande parte dos eletrodomésticos e eletroeletrônicos, que aos poucos se tornaram indispensáveis na vida das pessoas são constituídos de material plástico. O liquidificador, o ferro elétrico de passar, a geladeira, a máquina de lavar, computadores e acessórios, são alguns exemplos de produtos eletrônicos que passaram a utilizar a matéria-prima em suas estruturas.

As lavadoras constituem um bom exemplo dos benefícios que um produto pode alcançar com o uso de material plástico. Antes produzidas com chapas de aços, as lavadoras se modernizaram e passaram a contar com gabinetes plásticos. Além de deixar o produto mais leve – as lavadoras pesam em média 18 kg, sendo 60% em plástico, enquanto as que utilizam chapas de aço pesam, em média, 26 kg – a inovação eliminou etapas do processo de produção como estamparia, funilaria, soldagem, tratamento químico e pintura, proporcionando economia de tempo e otimização do espaço físico.

Pelo fato de reduzir os custos da matéria prima e contribuir significativamente para a otimização do processo de produção, o plástico estende os seus benefícios ao mercado consumidor que hoje, sem abrir mão da qualidade e da funcionalidade, tem acesso a produtos com custos mais baixos.


Fonte: www.pecasplasticas.com

Aplicação de filmes em embalagens

Aplicação de filmes em embalagens

Para diferentes aplicações, existem no mercado filmes específicos que se adaptam às diversas necessidades, tais como:

  • Brilho;
  • Barreiras (gordura, luz, umidade, oxigênio e outros);
  • Texturas;
  • Aparência;
  • Resistência mecânica;
  • Empilhamento, etc.

Os filmes podem ser obtidos prontos ou transformados na própria empresa, de acordo com a capacidade de cada empresa.

No caso da CANGURU, os filmes abaixo são obtidos da seguinte maneira:

Filme Processo
PP (Polipropileno) Processado a resina para se obter o filme através de máquina plana (Flat-Die). Boa transparência e brilho, largamente aplicado na indústria de massa e biscoitos, entre outros.
PEBD/PEBDL (Polietileno de Baixa Densidade – linear) Processado a resina em máquinas de balão (Blow). Aplicado em alimentos e higiênicos em geral.
PEAD (Polietileno de Alta Densidade) Processado a resina através de máquina de balão ( Blow ). Aplicado em produtos como sacolas, alimentos em geral.
BOPP (Polipropileno Biorientado) Filmes obtidos através de terceiros, devido ao alto valor de investimento para a sua obtenção. Por se tratar de uma estrutura mais nobre, possui características específicas, como barreira, transparência, propriedades mecânicas, temperatura de selagem e gramatura, entre outros. Aplicado em massas, biscoitos nobres, snacks, etc., podendo ser metalizado, perolado ou transparente.
PET (Poliéster) Filmes obtidos através de terceiros, devido ao alto valor de investimento para a sua obtenção. Apresenta ótima barreira a oxigênio e boa transparência. Pode ser metalizado ou transparente, devendo ser laminado com outro produto para viabilizar a selagem ou selado com adesivo. Trata-se de um material não termoselável.

Fonte: http://www.canguru.com.br/

Aplicação de filmes em embalagens

Para diferentes aplicações, existem no mercado filmes específicos que se adaptam às diversas necessidades, tais como:

  • Brilho;
  • Barreiras (gordura, luz, umidade, oxigênio e outros);
  • Texturas;
  • Aparência;
  • Resistência mecânica;
  • Empilhamento, etc.

Os filmes podem ser obtidos prontos ou transformados na própria empresa, de acordo com a capacidade de cada empresa.

No caso da CANGURU, os filmes abaixo são obtidos da seguinte maneira:

Filme

Processo

PP (Polipropileno)

Processado a resina para se obter o filme através de máquina plana (Flat-Die). Boa transparência e brilho, largamente aplicado na indústria de massa e biscoitos, entre outros.

PEBD/PEBDL (Polietileno de Baixa Densidade – linear)

Processado a resina em máquinas de balão (Blow). Aplicado em alimentos e higiênicos em geral.

PEAD (Polietileno de Alta Densidade)

Processado a resina através de máquina de balão ( Blow ). Aplicado em produtos como sacolas, alimentos em geral.

BOPP (Polipropileno Biorientado)

Filmes obtidos através de terceiros, devido ao alto valor de investimento para a sua obtenção. Por se tratar de uma estrutura mais nobre, possui características específicas, como barreira, transparência, propriedades mecânicas, temperatura de selagem e gramatura, entre outros. Aplicado em massas, biscoitos nobres, snacks, etc., podendo ser metalizado, perolado ou transparente.

PET (Poliéster)

Filmes obtidos através de terceiros, devido ao alto valor de investimento para a sua obtenção. Apresenta ótima barreira a oxigênio e boa transparência. Pode ser metalizado ou transparente, devendo ser laminado com outro produto para viabilizar a selagem ou selado com adesivo. Trata-se de um material não termoselável.

Fonte: http://www.canguru.com.br/

Leis Ambientais

Leis Ambientais

CRIMES DE POLUIÇÃO E OUTROS (Art. 54 a 61)

Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resul-tar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora: Pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa. Se o crime é culposo: Pena – detenção, de seis meses a um ano, e multa.

Se o crime: I – tornar uma área, urbana ou rural, imprópria para a ocupação huma-na; II – causar poluição atmosférica que provoque a retirada, ainda que momentâ-nea, dos habitantes das áreas afetadas, ou que cause danos diretos à saúde da população; III – causar poluição hídrica que torne necessária a interrupção do abas-tecimento público de água de uma comunidade; IV – dificultar ou impedir o uso público das praias; V – ocorrer por lançamento de resíduos sólidos, líquidos ou ga-sosos, ou detritos, óleos ou substâncias oleosas, em desacordo com as exigências estabelecidas em leis ou regulamentos: Pena – reclusão, de um a cinco anos. Incorre nas mesmas penas previstas no parágrafo anterior quem deixar de adotar, quando assim o exigir a autoridade competente, medidas de precaução em caso de risco de dano ambiental grave ou irreversível.

Fonte: http://www.guiadoplastico.com/?conteudo=37

Termolaminação uma aliada da Tecnologia Digital

Termolaminação uma aliada da Tecnologia Digital

O processo de termo laminação, ou seja, laminação a quente, é um importante aliado da industria gráfica para agregar beleza, qualidade e valor ao material impresso.

Segundo Marcos Marcello, diretor da Prolam®, líder em fornecimento de filmes Bopp para termo laminação no Brasil, a característica de produção do processo térmico permite rápidos acertos para set up de máquinas e custos mais competitivos para pequenas tiragens (até 5000 folhas), atendendo assim às necessidades de parte das empresas que vendem impressão digital.

Além dos consagrados filmes Alto brilho e Fosco, é possível termo laminar os impressos produzidos na HP Indigo press com os filmes Prata, 3D pedras e 3D janelas.

Segundo Arthur Machado Filho, Diretor da empresa Lamimax, que há mais de vinte anos presta serviços de termo laminação e aplicação de verniz UV em São Paulo, o custo para laminar um metro quadrado de impressão com filme Fosco da Prolam gira próximo a R$1 e a Alto Brilho a R$0,80

Fonte: http://www.prolam.com.br/noticias-gerais/termo-laminacao-sobre-impressao-digital-e-possivel.html

Next entries » · « Previous entries
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.